Home
NOTA DE REPÚDIO DO SINDICATO DOS PROFESSORES E PEDAGOGOS DE MANAUS -ASPROM/SINDICAL AO FATO OCORRIDO NO CEJA JACIRA CABOCLO NO DIA 22/03/2019

NOTA DE REPÚDIO DO SINDICATO DOS PROFESSORES E PEDAGOGOS DE MANAUS -ASPROM/SINDICAL AO FATO OCORRIDO NO CEJA JACIRA CABOCLO NO DIA 22/03/2019

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus – ASPROM/SINDICAL, repudia com veemência todo e qualquer tipo de assédio moral, intimidação e represália como a que aconteceu no CEJA Jacira Caboclo.
No dia 22/03/ 2019. Professores da referida escola relataram que foram assediados e intimidados pela Gestora senhora Vanessa Lúcia dos Santos pelo fato de desejarem participar da manifestação contra a Reforma da Previdência ocorrida na Praça da Polícia.
A fim de retaliá-los pela decisão de participarem do evento, a referida gestora ordenou que o livro de ponto fosse apreendido com o intuito de impedir que os professores registrassem suas assinaturas referentes ao dia trabalhado. Sendo questionada dos motivos de tal postura, a gestora, numa atitude intransigente,
chamou até a polícia para intimidar os professores e tão agravante quanto impossibiltar o registro das assinaturas dos professores no livro de ponto, teve a intenção de também impedi-los de se dirigirem à Praça da Polícia, local do ato contra a Reforma da Previdência.
As atitudes da gestora Vanessa Lúcia são injustificáveis e atingiu o cúmulo do absurdo do autoritarismo que pairam sobre as ações de vários gestores da Rede Pública Estadual de Ensino, ao desrespeitar e humilhar de maneira tão acirrada os professores.
Sim, o autoritarismo exacerbado é um dos motivos pelos quais a categoria reivindica eleição direta para gestores de escola, para que comportamentos como a da senhora Vanessa Lúcia não se tornem corriqueiros, visto que existem muitos gestores que tratam os professores e demais funcionários do mesmo modo que a referida gestora o fez.
O ASPROM SINDICAL continuará insistindo junto ao Secretário de Educação Luiz Castro que atenda a reivindicação justa e acertada da categoria que solicita eleição direta para gestores a fim de que se instaure, uma gestão verdadeiramente democrática nas escolas da rede estadual de ensino.
Exigimos junto com os professores do CEJA Jacira Caboclo, que foram intimidados, que a gestora da escola seja responsabilizada pela atitude inaceitável e repudiante que cometeu.

Manaus, 24 de Março de 2019.

A DIRETORIA.

2 Comments

Leave a Comment

*

*